Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

TECNOLOGIA

MICROEMPREENDEDORES
Maquininhas de cartão com taxa única

A Getnet, do Santander Brasil, oferecerá portabilidade de maquininhas de cartão a microempreendedores. A empresa pretende adicionar entre 300 mil e 400 mil novas maquininhas até o fim de 2020. Com a portabilidade, a Getnet tentará atrair microempreendedores que usam maquininhas de concorrentes, como Cielo, Credicard e Pagseguro. Para convencê-los a mudar de adquirente, a empresa oferece uma taxa única de 2% nos cartões de débito e crédito à vista e pagamento em dois dias. Maquininhas que operam no sistema de aluguel estão fora da iniciativa.

APLICATIVO
Ame, dos grupos Lojas Americanas e B2W, se tornará empresa

O aplicativo de pagamentos dos grupos de varejo Lojas Americanas e B2W, o Ame, deverá se tornar uma empresa até o fim do mês, o que irá ajudá-la a buscar licenças para fornecer serviços financeiros, ampliando a concorrência em um mercado com dezenas de novos participantes no País. O Ame deverá obter um CNPJ, firmando-se como empresa própria, disse Fábio Abrate, diretor-financeiro da B2W. “A gente pode transformar esse negócio em um superapp para que a Ame conviva com o cliente desde a hora em que ele acorda até a hora em que vai dormir”, afirmou o executivo.

22.183

foi o número de ocorrências de roubos de carga em 2018 no País, segundo a NTC & Logística – Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística. No ano anterior, essa soma chegou a 25.970 casos. No ano passado, também ocorreu uma queda de mais de 3 mil incidentes, cerca de 15% com relação a 2017. E é também um número menor que o registrado em 2016, que apontou 24.550. Mesmo assim, ainda é um número muito alto de episódios, avalia a NTC. Nesse cenário, a Região Sudeste é a mais afetada, arcando com 84,79% das ocorrências

WALMART
Mudança tecnológica e estrutural

Um ano depois de o Fundo de Investimento Advent adquirir 80% do Walmart Brasil, a empresa anuncia pontos importantes do seu plano estratégico, que inclui a mudança da marca corporativa em seus hipermercados e supermercados, e a intensificação do foco e dos investimentos nos formatos cash & carry e clube de compras. A partir de agora, a empresa passa a se chamar Grupo BIG. Nos próximos 18 meses, ela investirá mais de 1,2 bilhão de reais na modernização e na ampliação de suas lojas. Com o objetivo de aumentar a participação no formato autosserviço, o Grupo BIG deu início ao projeto do Maxxi Atacado, que abrange a mudança de posicionamento da marca, a transformação estrutural e tecnológica de suas 43 unidades em todo o Brasil e a conversão de dez lojas de hipermercado em autosserviço.