Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

comitê de logística

Encontro produtivo

O objetivo da reunião foi debater questões legais, econômicas e operacionais que afetam o setor atacadista distribuidor

por Ana Paula Alencar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Play Video

Frete mínimo foi debatido pelos participantes

A ABAD – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores, em parceria com a Abralog – Associação Brasileira de Logística, realizou, na manhã de 9 de agosto, o primeiro Encontro do Comitê Logística ABAD/Abralog, na sede da entidade, em São Paulo. O Comitê se empenhou em levantar e discutir problemas legais, econômicos e operacionais que afetam o setor atacadista e distribuidor na área de logística. O primeiro encontro, que contou com a presença de cerca de 70 pessoas, incluindo associados da ABAD e convidados, analisou a questão do frete mínimo, que se arrasta ainda sem solução desde a greve dos caminhoneiros, no primeiro semestre do ano passado.

Dando boas-vindas aos presentes, Leonardo Severini, vice-presidente da ABAD, que representou o presidente Emerson Destro, disse que a participação e a contribuição de todos nesse projeto certamente fortalecerá e tornará a logística cada vez melhor e mais eficiente. “Hoje, somos reféns do excesso de regras. A livre concorrência faria muito bem para todos os setores, além de trazer maior segurança à operação”, disse. Pedro Moreira, presidente da Abralog, afirmou que a parceria tem por meta subsidiar a ABAD com o máximo de conteúdo sobre os temas mais urgentes para o setor atacadista distribuidor.

Ramon Alcaraz, CEO da Fadel Transportes e um dos vice-presidentes da Abralog, apresentou uma detalhada exposição sobre “Tabelamento de Frete: Impactos na Cadeia de Suprimentos e Soluções”, tema do painel inaugural do Comitê. Segundo ele, as inúmeras resoluções tomadas a partir da greve dos caminhoneiros no ano passado foram uma sucessão de erros. “Embora o atual Ministro dos Transportes tenha manifestado o desejo de acabar com o tabelamento por causa das enormes dificuldades de entendimento, ele optou por elaborar uma nova tabela. Por mais lógica e técnica que ela seja, as inconsistências permanecem e podem gerar um grande passivo para as empresas que não ignorarem o tabelamento”, afirmou Alcaraz.

GREVE

Marcello Cevalles, diretor de Logística da Kion South America, João Paes de Almeida, diretor de Supply Chain da Cargill para a América do Sul, e Eduardo Sacchi, diretor-sênior de Supply Chain da PepsiCo, também participaram do painel, destacando os problemas que a greve dos caminhoneiros causou em suas operações. Alessandro Dessimoni, assessor jurídico da ABAD e vice-presidente jurídico da Abralog, comentou os desafios jurídicos que ocorrem na área logística e completou afirmando que qualquer análise que se pretenda fazer passa pela perspectiva da livre iniciativa, pois vivemos em um País capitalista. O debate foi moderado pelo presidente da Abralog.

O Comitê Logística ABAD/Abralog apoia-se em três pilares, que nortearão todas as suas ações: simplificação, desburocratização e livre concorrência. A liderança do organismo será dividida entre os presidentes e executivos das duas associações parceiras com o apoio das consultorias jurídica e técnica da ABAD. O encontro terminou com a apresentação de Bernadeth Macedo Vieira, assessora técnica da Prevenir Consultoria Técnica, que falou sobre as contribuições que a ABAD faz para melhorar o Regulamento de Transportes Terrestres de Produtos Perigosos, com o objetivo de minimizar os impactos para o setor atacadista e distribuidor.

Esta edição da revista DISTRIBUIÇÃO traz a cobertura da 39ª Convenção Anual do Canal Indireto – ABAD 2019 Atibaia e mostra com riqueza de detalhes o grande sucesso mais uma vez alcançado pelo evento. 

Para a ABAD, é uma grande satisfação comprovar os bons resultados desse encontro, que, pelo segundo ano consecutivo, reúne o PIB do atacado distribuidor nacional para três dias de interações e alinhamentos com as grandes indústrias presentes e os principais prestadores de serviços do setor, e acesso a um amplo conteúdo com foco em inovação e competitividade. 

Cada vez mais, fica claro que essa sintonia fina entre os agentes de distribuição e seus fornecedores é a chave para a continuidade e o sucesso dos nossos negócios, juntamente com a aquisição e o aprofundamento de conhecimentos sobre o mercado, as tendências e as novas tecnologias. Esse conjunto de aspectos, é, em essência, o que a nossa Convenção anual oferece, e é o que a torna atrativa e importante para todos os participantes. 

Ao lado de nossa permanente atuação institucional no campo político-legislativo, que tem merecido grande atenção por parte da ABAD, é a atuação associativa que constitui a principal razão de nossa existência. 

Promover e incentivar o associativismo, as ações colaborativas e a união de nossos  associados em torno de temas de interesse comum são iniciativas essenciais para garantir o desenvolvimento sustentável da nossa atividade. Isso move nosso empenho em realizar encontros cada vez mais ricos em conteúdo e relacionamentos. 

Terminada a Convenção, nossas atenções se voltam agora para o Seminário ABAD & Filiadas, que será realizado em agosto.

Esse evento reunirá diretorias e o executivo das filiadas estaduais de todas as regiões do Brasil, além da própria diretoria da ABAD, dos líderes regionais e de integrantes do grupo ABAD Jovem. 

Acreditamos que uma forte atuação associativa nacional está alicerçada em entidades estaduais fortes; por isso, o seminário anual é um encontro dedicado ao aperfeiçoamento dos serviços prestados ao setor pelas entidades estaduais e à disseminação das melhores práticas por meio da troca de informações e do incentivo à implementação de novas ideias. 

O alinhamento estreito e permanente entre as diretorias da ABAD e de suas filiadas é um importante fator de coesão, que permite atuar de maneira coordenada e eficiente diante de demandas jurídicas que afetam o conjunto do setor, e realizar debates sobre a legislação relativa à atividade atacadista distribuidora. O associativismo nos faz mais fortes. Prestigie e divulgue a atuação da ABAD