Painel

Ministro anuncia na OMS

por Redação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O ministro da Saúde, Marcelo Quiroga, anunciou que  “é possível garantir” que toda a população brasileira vai ser vacinada contra a covid-19 até o fim de 2021. Ele deu essa informação ao participar de uma das duas coletivas de imprensa realizadas com a OMS –

Organização Mundial de Saúde: “Temos doses suficientes para o segundo semestre, e é possível garantir que, até o fim deste ano, tenhamos toda a nossa população inteiramente vacinada”,afirmou.

Vacina e recuperação

Rodolpho Tobler, economista do Ibre – Instituto Brasileiro de Economia da FGV – Fundação Getulio Vargas, avalia que, com o aumento da vacinação contra a covid-19, a economia do País deverá melhorar nos próximos meses. E, consequentemente, as taxas de desemprego, já no segundo semestre, deverão diminuir.No entanto, “a recuperação mais robusta, mais completa, só deverá ocorrer em 2022, principalmente com a ampliação da vacinação”, disse.

1,9% ou 0,05% real foi a taxa de redução que a Petrobras impôs sobre os preços de venda da gasolina e do diesel em suas refinarias. O litro da gasolina vendido às distribuidoras está sendo comercializado, em média, por 2,59 reais, segundo informações fornecidas pela estatal. Quanto ao litro do diesel, ficou 0,06 real mais barato, ou 2,2%, e passou a ser vendido às distribuidoras por 2,71 reais. Este é o preço com o qual ele é vendido às distribuidoras. Até chegar ao consumidor final, o combustível sofre acréscimos relativos a tributos federais e estaduais, mistura obrigatória quando se trata de biocombustíveis

Acordo eletrônico firmado

Os países que compõem o Mercosul assinaram um acordo de comércio eletrônico que facilita as transações digitais e proíbe a criação de barreiras comerciais nesse segmento. Segundo os Ministérios da Economia e das Relações Exteriores, o instrumento aprofunda a integração regional ao regular um tema cada vez mais importante para o comércio global. O acordo estabelece um marco jurídico comum que impede a criação de possíveis obstáculos ao comércio eletrônico entre os quatro países do bloco – Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email