Janeiro tem alta de 2,7% nas vendas do varejo paulistano

O movimento de vendas do varejo paulistano cresceu 2,7% na primeira quinzena de janeiro, na comparação com igual período do ano passado. O resultado foi puxado pelas vendas à vista (4,1%), reflexo da demanda por itens típicos do verão e de início do ano. O número faz parte do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

“A moda praia e produtos de drogaria, como protetor solar e bronzeador, ajudam a impulsionar essas vendas à vista. Tem também a procura por material escolar, que contribuiu com a alta”, explica Emilio Alfieri, economista da ACSP.

Já as vendas a prazo, que costumam refletir a procura por itens de maior valor, como eletrônicos e eletrodomésticos, cresceram menos, registrando alta de 1,3% nessa primeira quinzena do ano frente igual período de 2019.

O resultado dessa primeira metade de janeiro está dentro das expectativas da ACSP, segundo Alfieri. Ele lembra que no final do ano passado houve uma euforia no varejo por causa da liberação do FGTS, que ajudou a impulsionar as vendas.

“Essa euforia passou agora. O consumidor não tem mais os recursos do Fundo de Garantia e aparecem as contas de início do ano, como o IPVA e o IPTU. Então, é natural que os números sejam mais modestos. Essa alta de 2,7% pode ser considerada positiva”, diz o economista da ACSP.

Na comparação com a primeira quinzena de dezembro de 2019, o movimento de vendas cai 38,4%. Segundo Alfieri, esse é um resultado sazonal para a cidade de São Paulo, reflexo da base forte do final do ano passado e do tradicional êxodo do paulistano para o litoral e o interior, o que enfraquece o varejo da capital paulista.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.