Você trabalha sob pressão?

Por Juliano Cesar Faria Souto, sócio Administrador da FASOUTO e vice-presidente da ABAD

Em nosso dia a dia esse tema: ” trabalho sobre pressão” é recorrente e na maioria das abordagens observa-se uma tendência a tentar mudar a condição e ambiente de trabalho . Nesse texto vimos um enfoque diferente pois o autor faz uma analogia com o desempenho esportivo onde não é possível evitar a pressão contínua por resultados e sim utilizar o treinamento como forma de maximizar a performance considerando a pressão como inevitável.

Existem muitas situações cotidianas de alta pressão. que acontecem no trabalho: reuniões importantes com clientes, prazos apertados e apresentações para chefes. Dominar o estresse é, portanto, uma habilidade profissional essencial .

Art Markman, escritor e professor de psicologia da Universidade do Texas em Austin, explicou no site da Fast Company* como preparar o cérebro para encarar situações de maior pressão.

Consequências da pressão:

● canalizar seu foco para todas as coisas que podem dar errado no mundo. Seus pensamentos saem de todas as coisas potencialmente boas e vão para os problemas.

● limitar a quantidade de informações que você consegue segurar de uma só vez. O cérebro passa a se distrair com a atividade do corpo, como por exemplo, em tiques ou na respiração.

Como se preparar :

● Controle suas recompensas. Mentalize nos ganhos e não nas dificuldades . A possibilidade da perda da recompensa vai deixar você mais focado e criativo.

● Treine muito A melhor maneira de se preparar para situações de muita pressão é criando “treinos”, de dificuldade gradativa em sua rotina do dia a dia , para se adequar a momentos desagradáveis. Estabeleça desafios crescentes em suas tarefas e com isso seu cérebro estará sendo “treinado” para entender os desafios e pressões como rotina .

● Foque no necessário Quando estamos sob pressão o cérebro desvia a atenção para detalhes secundários, assim, passe a anotar em um papel o que de fato é importante para sua tarefa. Assim, o cérebro aprende a manter o foco e se manter criativo.
Considerando que no mundo atual cada vez mais VUCA* ( volátil , incerto, complexo e ambíguo ) temos que conviver nesse ambiente “hostil” e maximizar nosso potencial criativo e com foco no resultado nas condições postas, evitando canalizar atenção na utopia de esperar por ambiente positivo, de baixa pressão propício para entrega de resultados .

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.