ABIPLA é liderada por mulheres, pela primeira vez, em 44 anos

Pela primeira vez, desde 1976, a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes de Uso Doméstico e de Uso Profissional – ABIPLA, entidade que representa 80% do mercado de higiene e limpeza do Brasil e movimenta R$ 20 bilhões anuais, é comandada por mulheres. Em março deste ano, Juliana Marra, gerente-sênior da Unilever, assumiu a presidência, com Renata Bertele, diretora da Ypê, como sua vice. Os mandatos vão de março deste ano até o fim de 2021. “Sempre tive muito contato com os temas da ABIPLA e é um enorme prazer assumir este posto, ainda mais sendo a primeira mulher no cargo”, diz Juliana, que assume a posição em um momento em que a entidade vem se reestruturando para ampliar seu alcance e se consolidar como referência em sanitização no Brasil.

“A ABIPLA tem o papel de ser a principal fonte de informação e articulação do setor de produtos de limpeza, seja para agências reguladoras, imprensa, autoridades públicas e até mesmo consumidores”, explica a presidente. Outras funções da entidade são o combate à utilização de produtos falsificados, adequação às normas de proteção ao meio ambiente e o trabalho de articulação com associações de outras indústrias que têm pleitos convergentes. “Às vezes, quando falamos de indústrias, mesmo que não sejam da mesma área, os problemas coincidem. Buscamos sempre um trabalho coletivo”, explica Juliana Marra.

Na mesma linha, Renata Bertele ressalta que, apesar de ser uma entidade que reúne corporações que lutam no dia a dia, por fatias de mercado, o foco na coletividade é ponto comum na associação. “Temos concorrentes pesados dentro do grupo, mas, quando a gente se encontra e se conecta sobre os mesmos temas, essas barreiras desparecem. Quando estou na ABIPLA, sou alguém que quer ajudar o coletivo. Este é o grande propósito de toda associação: tratar temas comuns para que a gente possa seguir o caminho do que é correto. Tenho muito orgulho de fazer parte da entidade”, conta a vice-presidente.

Para Renata, o papel da ABIPLA – e das associações em geral – não é apenas a busca por pleitos comuns ou de setores específicos, mas, também, uma contribuição para a sociedade como um todo. “Nosso papel, como associação, é batalhar por um País diferente, mais justo, que dê mais oportunidade para que outras empresas possam se conectar com suas associações e que isso possa ser uma alavanca e gerar crescimento de negócios e para as comunidades”, diz.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email