Como ter uma gestão logística eficiente do estoque durante a pandemia?

por Fabrício Santos, especialista em Logística da MáximaTech e da onBlox

O isolamento social é a principal forma para evitar o contágio ao Coronavírus. Diante dessa mudança brusca no cotidiano, muitas pessoas passaram a buscar por alternativas como comércio eletrônico e delivery. O aumento dessa demanda causa impactos no setor de distribuição, que precisa adaptar rapidamente suas estratégias logísticas.

Os itens essenciais não sofrerão impactos significativos com a mudança de prioridade de consumo de grande parte da população. Uma boa gestão de estoque é essencial a partir da necessidade dos produtos que envolvem a cadeia de abastecimento. Mas, como gerir o estoque de maneira simples e eficiente, mantendo a saúde dos seus colaboradores?

As dicas abaixo podem melhorar o seu processo.

  1. Crie setores de armazenagem – separar determinados produtos, principalmente os itens que têm maior saída, e agrupá-los sempre no mesmo local é a primeira recomendação. Assim, será mais fácil para que o separador dos pedidos consiga encontrá-los, o que aumenta a produtividade na hora do abastecimento.
  2. Corte de pedidos – a antecipação do ponto de corte diário dos pedidos, fazendo modificações no horário máximo, reduz a quantidade de pessoas no estoque. Realizando essa alteração, os turnos não ficam desassistidos e a logística não para.
  3. Defina um ‘dono’ para cada rua – uma forma simples de diminuir a quantidade de pessoas dentro do estoque para reduzir as chances de contágio é agrupar categorias de produtos em “ruas” ou setores, deixando somente um funcionário responsável por cada uma delas. Além de adotar uma distância segura entre as pessoas como uma forma de prevenção, essa estratégia também pode criar a especialização. Assim, com o passar de alguns dias, aquele funcionário passará a localizar cada produto com mais facilidade, aumentando a produtividade.
  4. Reúna os produtos mais vendidos durante a pandemia em um único local – os produtos que têm maior saída neste cenário de crise, como itens de higiene e itens de primeira necessidade, devem ser realocados para um local de fácil acesso, o que tornará o processo de picking mais ágil.
  5. Reposição de estoque – para fazer a reposição de estoque, é importante criar análises orientadas ao volume de vendas dos produtos ou giro. Isso ajudará a entender qual quantidade de cada produto deve ser colocada no apanha, evitando que este tenha que ser abastecido a todo momento, o que acaba atrapalhando o fluxo de separação.
  6. Invista em tecnologia – além de entender as mudanças que estão ocorrendo, é necessário ter o máximo de atenção com o controle do estoque. Afinal, quanto mais informações o gestor tiver sobre o que está armazenado, menores são as chances de erros acontecerem durante a tomada de decisão. Assim, torna-se fundamental contar com um sistema que informe os dados corretamente e em tempo real.

Adotando um sistema de gerenciamento de armazém, ou Warehouse Management System (WMS), é possível reduzir em até 50% o número de pessoas dentro do depósito, mantendo a qualidade na operação. Além disso, é possível diminuir em até 40% o tempo de separação de mercadorias. E não para por aí. Com esse sistema é possível controlar o giro de mercadorias e, com isso, repor itens de maior demanda e escoar os produtos de ponta de estoque ou fora de linha.

As transformações que estão ocorrendo na cadeia de abastecimento não são apenas momentâneas, e quem inovar vai sair na frente. Associando algumas técnicas de picking a um WMS, os distribuidores conseguirão aliviar a operação, aprimorando e implementando novos processos e reduzindo o número de pessoas dentro dos centros de distribuição. Adotar novas estratégias pode otimizar e simplificar o trabalho nos depósitos e aumentar o sucesso do seu negócio.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email