Comitê Marketplace ABAD avança e mapeia processo de digitalização no setor

O Comitê Marketplace da ABAD se reuniu nesta segunda-feira, 21 de setembro, e avançou na construção do marketplace do canal indireto. Os membros do comitê receberam em primeira mão os resultados da pesquisa exclusiva feita pela ABAD com os empresários do setor atacadista e distribuidor. O levantamento, que vai nortear os próximos passos no processo de criação da plataforma, mostrou que 31,97% dos empresários já utilizam o e-commerce em seus negócios, e 19,67% estão em processo de construção. Um grande percentual, contudo, 48,36%, ainda não tem o recurso.

Entre os 31,97% que já atuam com o e-commerce, apenas 33% deste total, estão em um sistema colaborativo de vendas, o marketplace. “Os números trazem um retrato importante da realidade do setor neste momento e mostra que estamos no caminho certo. A transformação do mercado e dos negócios em razão da evolução tecnológica é um movimento inevitável. Nosso papel, como entidade setorial, é conduzir esse processo e criar um ambiente virtual seguro, capaz de promover os negócios de forma inteligente, com tecnologia de ponta, transparência, isonomia e eficiência”, afirma o presidente da ABAD, Emerson Destro.

O levantamento mostra também que o e-commerce tem uma participação pequena no faturamento das empresas, o que indica um grande potencial de vendas. Entre os que utilizam o e-commerce, apenas 10,25% alegam que o e-commerce representa mais que 20% do faturamento. Para a grande maioria (89,75%), o e-commerce tem percentual abaixo de 20% de faturamento, sendo que para 41,02% o percentual de faturamento é menor que 1%.

Sobre a adesão ao marketplace da ABAD, 89% disseram que participariam da plataforma, contra 11% que afirmaram que não participariam, muitos por não saberem como o marketplace da ABAD vai funcionar.

CLIQUE AQUI para ver a pesquisa completa.

Modelo

Os coordenadores do Comitê, Eduardo Terra e German Quiroga, também fizeram uma ampla apresentação sobre o modelo de marketplace a ser adotado, debatendo com os membros questões comuns a todos os modelos, como baixo custo de adoção e manutenção, flexibilidade de modelo de entrega, possibilidade de se fazer uma loja própria, plugada no marketplace da Abad (Whitelabel) e alguns outros diferenciais que precisam de atenção pois mudam completamente o modelo de marketplace.

“Avançamos mais na discussão de temas como base de clientes, tipos de financiamento para criação do marketplace, papel da entidade e plataforma tecnológica. O desenho do nosso modelo deve começar a surgir no próximo encontro, marcado para outubro”, conclui o presidente da ABAD.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email