9 Erros que as lojas virtuais cometem

O mercado de e-commerce cresce a cada dia, já que cada vez mais as pessoas compram pela internet. No entanto, o especialista em Marketing Digital Fabio Ricotta, CEO da Agência Mestre, destaca que a concorrência é cada vez maior, e por isso é importante se destacar diante de tantos sites. “Para vencer a concorrência e ser encontrado pelo público, é preciso conhecer os principais erros que impedem o crescimento de um e-commerce”, conta o especialista, que elencou os 9 piores erros que um e-commerce pode ter.

1- Não ter um bom nome para a loja

O primeiro passo para ter uma loja online é criar um nome e domínio que seja criativo, fácil e claro, como explica Ricotta. “Quanto mais fácil e óbvio for o nome da loja, melhor vai ser o resultado”. Ele explica que é possível criar um domínio que deixe mais claro o que se vende, mesmo com um título já existente da loja online. “Senão, o consumidor fica confuso e pode não encontrar a loja”.

2- Não anunciar

Ricotta explica que todo negócio, independente do faturamento, deve anunciar. “É uma ilusão pensar que as vendas vão ocorrer de forma totalmente orgânica, por isso a sugestão é investir de 15% a 30% do faturamento em marketing digital, dividindo entre estratégias de SEO, anúncios, entre outros”.

3- Não ter um ambiente online agradável

Assim como no shopping a tendência é comprar mais quando o ambiente é bom e o atendimento é eficiente, o mesmo ocorre no online. “É preciso que o site tenha um visual agradável e fácil de navegar, já que poucas pessoas têm paciência para esperar por sites lentos ou procurar funcionalidades escondidas”, explica o especialista, que reforça a importância de investir em experiência do usuário.

4- Não configurar o monitoramento de e-commerce no Google Analytics

Ricotta destaca que é possível configurar a ferramenta Google Analytics para monitorar dados importantes do e-commerce. “Quem não faz isso está jogando dinheiro fora: é crucial que seja possível analisar os números das compras realizadas, transações e receitas”, alerta. Ele ensina que existe uma maneira de inserir um código na página final do processo de compra, e que deve ser colocado depois na seção de “E-commerce” disponível na ferramenta do Google. “Com isso, vai ser possível mensurar o número de compras, analisar os produtos mais vendidos e as palavras-chave de entrada para cada produto vendido, além de outros dados que vão ajudar no planejamento dos próximos produtos e no conteúdo da loja”.

5- Não tomar cuidado com a concorrência

Ricotta destaca os possíveis concorrentes de um e-commerce: além de sites que vendem os mesmos produtos, também é possível que haja um site oficial da marca. “Quanto mais único for o produto, melhor será para a loja, mas se isso não for possível, faça um investimento em anúncios e SEO para que a sua loja se diferencie de qualquer outro e-commerce que venda a mesma coisa”, sugere.

6- Não adquirir contatos

Tanto no cadastro da loja quanto nas redes sociais e outros ambientes online, é possível coletar o e-mail e até o número do celular dos clientes. “Com isso, é possível fazer uma lista de contatos e enviar para eles informações, convites e ofertas”, destaca. Este processo, chamado de aquisição de leads, é primordial para qualquer trabalho de Marketing Digital, segundo Ricotta.

7-  Esquecer de usar a criatividade

Sabendo que não existem regras rígidas para o mundo online, Ricotta conta que, dependendo do negócio, pode ser que uma rede social funcione melhor, ou alguns tipos de estratégias sejam mais bem-vindas que outras. “Em muitos casos, o Whatsapp pode ser utilizado como ambiente para atendimento ao cliente”, exemplifica.

8- Não estudar – e não ficar antenado!

O mundo digital muda rápido, e por isso é preciso estar atento às novas redes sociais e tendências que surgem a todo momento. Ricotta destaca que estudar sobre assuntos como SEO, copywriting e outros termos típicos do mundo digital é a melhor forma de se manter antenado. “Saber o que o público quer e estudar sempre faz com que o cliente se fidelize”.

9- Não dar tratamento VIP

No mercado digital, pode ser difícil para uma loja pequena ganhar de uma grande rede, mas isso é possível com os diferenciais que ela pode oferecer. “Qualquer negócio que começou pequeno no mundo online pode oferecer um tratamento diferenciado, embalagem personalizada, ou até mesmo um atendimento feito por uma só pessoa”, ensina Ricotta. “Cabe a cada um definir um diferencial que vai fazê-lo vender mais”.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email