BNDES vai simplificar e ampliar crédito para micro e pequenas empresas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou hoje (13) um conjunto de medidas para simplificar, agilizar e ampliar o acesso ao crédito das micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). Segundo a instituição, o plano visa à indução da retomada do crescimento econômico e à manutenção e geração de emprego e renda. O impacto esperado é de um aumento de 20% nos desembolsos para o segmento, um acréscimo de R$ 5,4 bilhões até o fim de 2017.

O BNDES desembolsou, de janeiro a outubro deste ano, R$ 21,9 bilhões para as MPMEs. O valor representa 31,8% de tudo o que o banco liberou no período e corresponde a 489.683 operações, ou 95,7% de todas as operações feitas pela instituição no período.

O diretor da Área de Operações Indiretas do BNDES, Ricardo Ramos, disse que as MPMEs são o segmento que mais têm sofrido com a crise econômica. “A micro, pequena e média empresa é a que tem maior possibilidade de gerar empregos. A ação do banco de ampliar o acesso ao crédito é colocar os recursos para um público em que o retorno social é grande”, afirmou Ramos, ao anunciar o plano na sede do banco no Rio de Janeiro.

Para facilitar a aquisição de itens necessários às atividades produtivas das micro, pequenas e médias empresas, o banco vai aumentar o limite máximo do Cartão BNDES de R$ 1 milhão para R$ 2 milhões a partir de janeiro de 2017. O produto, que é uma linha de crédito rotativa e pré-aprovada, com pagamento em até 48 prestações mensais fixas, poderá ser obtido pelas MPMEs com receita de até R$ 300 milhões.

Entre as ações com previsão de implantação no primeiro trimestre de 2017, o BNDES ampliará de R$ 90 milhões para R$ 300 milhões o limite para enquadramento das micro, pequenas e médias empresas. Com essa mudança, o banco prevê que, no próximo ano, cerca de 1,5 mil novas empresas poderão obter financiamentos da instituição com melhores condições.

Os programas BNDES Finame, BNDES Automático e BNDES Finem financiarão até 80% em Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) de 7,5% ao ano os projetos de investimento e compra de máquinas e equipamentos para as MPMEs. Essa é a condição de crédito mais favorável do banco. Anteriormente, esse percentual variava entre 50% e 80%, dependendo do programa.

Segundo o banco, os financiamentos contratados para as MPMEs por meio do BNDES Finame terão prazo máximo de pagamento de cinco para até dez anos para a aquisição de máquinas e equipamentos.

Para implantação a partir do segundo semestre de 2017, o plano é simplificar todas as linhas de crédito em uma plataforma tecnológica integrada, para que a maior parte das contratações seja realizada de forma totalmente automática, diminuindo, assim, os custos de transação. A meta é reduzir, até o fim de 2018, de 30 dias para dois dias úteis, o tempo de aprovação das operações de crédito do banco.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email