Menu
divisor-menu

Últimas Edições

Últimas Edições

 

Refrigerados - Margarina

Para todas as horas

Redação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

As vendas das margarinas apresentaram uma retração (em valor) de 5,5% nos estabelecimentos com atendimento em balcão e com até nove checkouts na pesquisa apurada pela Nielsen, nos 12 meses encerrados em junho. A queda mais acentuada, de 11,6%, ocorreu no Nordeste, onde foi maior o impacto da perda de vendas na categoria.

No entanto, para a Bunge, que detém as marcas Delícia e Primor, as vendas estão em alta. Isso pode sinalizar uma migração de compras para outro canal.

“Uma exposição bem feita dos produtos, um sortimento adequado por tamanho de loja, uma precificação correta e uma manutenção das gôndolas bem abastecidas são essenciais para se evitar rupturas são algumas das estratégias que podem ser utilizadas pelo varejo para impulsionar a categoria”, diz José Coletti, gerente de Marketing.

Coletti destaca que o aumento do número de refeições domésticas elevou as vendas de margarinas em comparação com o ano passado: “Essa é uma categoria presente em 96% dos lares e que tem uma ampla versatilidade de usos, podendo, em especial, ser utilizada para lanches ou como ingrediente no preparo de alimentos.”

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email