Menu
divisor-menu

Últimas Edições

Últimas Edições

 
 

Caldos, Molhos e Condimentos - Maionese e Ketchup

Diferentes resultados

Redação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Embora sejam dois ingredientes muito consumidos para turbinar sanduíches e diversas receitas de pratos, a dupla apresentou diferentes desempenhos de vendas no varejo pesquisado pela Nielsen. O ketchup encerrou os 12 meses terminados em junho com variação positiva de vendas de 3,1%, enquanto a maionese registrou uma retração de 5,2%.

No caso do ketchup, cinco das sete regiões pesquisadas apontaram aumento da comercialização: 15,7% no Grande Rio, 8,3% no interior paulista, 8% na área que abrange Espírito Santo, Minas Gerais e o interior carioca, 7,2% no Sul, e 3,5%no Centro-Oeste. As variações negativas foram detectadas no Nordeste (-7,1%) e na Grande São Paulo (-2%). Considerando os sabores disponíveis para consumo, a versão tradicional aparece como a preferida do consumidor, respondendo por 85% do movimento (em valor) da categoria.

Em relação ao desempenho da maionese, as vendas recuaram no Nordeste (-10,2%), no bloco formado pelo Espírito Santo, Minas Gerais e o interior carioca (-2,4%), na Grande São Paulo (-5,5%) e no interior paulista (-5,6% ), no Sul (-7,5%), e no Centro-Oeste
(-1,5%). A única área que apontou crescimento de vendas foi o Grande Rio, mas de apenas 0,8%. Pedro Ribeiro, sócio da Peers

Consulting, acredita na necessidade de se observar qual é o papel estratégico que cada categoria desempenha no negócio, no sortimento da loja, e na obtenção de fluxo de clientes, de diferenciação e de conveniência, entre outros aspectos. “Por exemplo, se o consumidor for ao sacolão, ele poderá encontrar ali a maionese com um papel de produto de conveniência.”

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email