Menu
divisor-menu

Últimas Edições

Últimas Edições

 
 

Higiene Pessoal - Antisséptico Bucal

Compra ocasional

Redação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Com queda de 6,1%, a categoria de antissépticos bucais é um desafio
para o varejo, para o atacado e até mesmo para a indústria. Isso
porque ela é considerada categoria de compra ocasional.

A pesquisa mostrou que as regiões de Minas Gerais, Espírito Santo e interior do Rio de Janeiro foram as maiores responsáveis pela queda: 44%, seguidas pelo Nordeste, com 26%.

Para Fátima Merlin, especialista em varejo, comportamento e shopper
e fundadora da Connect Shopper, o o uso de antisséptico ainda não faz parte de uma rotina diária de cuidados com a higiene oral do brasileiro e, por isso, o produto nem sempre está presente na cesta de compras.

“Por exemplo, em situações onde há perda da renda, o shopper abre mão facilmente desse tipo de produto. Ao varejo, cabe a missão de executar a categoria de maneira adequada, trazendo os produtos para perto das escovas e cremes dentais, abrindo o fluxo”, comenta Fátima.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email