Menu
divisor-menu

Últimas Edições

Últimas Edições

 
 

Limpeza Caseira - Desinfetantes

Busca por benefício

Redação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A pandemia acelerou a busca por desinfetantes no varejo, mas, no canal analisado, a pesquisa Nielsen apontou uma queda de 2,2%. Esse fato pode ser explicado pela busca do shopper por preço e embalagens maiores e mais econômicas, explica Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Ibevar – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo.

“O consumidor, comprimido pelas dificuldades inerentes a essa situação, torna-se mais sensível a preços, particularmente em itens como desinfetantes, de uso coletivo no ambiente doméstico, onde a taxa de substituição por outros produtos é muito maior.

Também existe a possibilidade de se obter maior economia com embalagens maiores, pois esse é um dos pontos importantes na definição de preço”, analisa.

O Nordeste aparece como a região mais importante. Em 2019, era responsável por 30% das vendas, e em 2020, por 29%. Ainda segundo dados da pesquisa, apesar da queda geral, o interior de São Paulo cresceu em participação nas vendas, com 59% do total. Felisoni destaca que a questão do preço é muito importante.

“No que diz respeito à venda desses produtos, é fundamental que o lojista esteja muito atento aos preços praticados, principalmente nas grandes operações. E, com certeza, consumidor optará por comprar onde é mais barato. O crescimento da categoria demonstra essa oportunidade, mas é preciso estar atento aos preços comunicados ao consumidor final”, diz.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email