Últimas Edições

Últimas Edições

O futuro do mundo dos negócios

Em um dos painéis do evento, Ricardo Cappra e representantes da Nielsen e da Unilever irão destacar o poder da informação para alavancar os negócios

por Ana Paula Alencar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Reunião do setor será em Atibaia/SP, de 27 a 29 de abril

“Se o presente é digital, o futuro será cada vez mais analítico.” A frase é do cientista de dados Ricardo Cappra, que estará na Convenção ABAD 2020, em Atibaia/SP. Ele integrará, ao lado da Nielsen e da Unilever, um dos quatro painéis programados para o dia 28 de abril, no qual abordará a importância da análise de dados para as empresas. 

Além de cientista de dados, Cappra é empreendedor, consultor internacional de estratégia digital e pesquisador do impacto dos dados na sociedade e nos negócios. Ele também lidera uma comunidade global de pesquisadores e cientistas especializados em dados. 

A partir dessa comunidade, o cientista criou um instituto de pesquisa internacional e independente que investiga oimpacto dos dados no mundo. O instituto desenvolve métodos para acelerar o uso da ciência de dados. Mas, afinal, por que é tão importante falar em dados? 

Segundo estudos recentes, apenas 40% das informações geradas pelo varejo são utilizadas de alguma maneira. E mesmo essas geram pouco valor. Isso acontece por causa de problemas crônicos que vão desde a falta de uma cultura analítica nas empresas até a carência de pessoas preparadas para lidar com a análise dos dados. 

O uso de dados é atualmente um recurso-chave para se avançar nos negócios. Seja para tomar decisões, traçar metas, definir estratégias ou qualquer outra ação que envolva vender no comércio – da indústria para o atacado, do atacado para o varejo, e do varejo para o consumidor –, a análise de dados ganhou status, e implementar uma cultura orientada pelos dados é o primeiro passo para se garantir um lugar ao sol. 

Cappra acredita que a maioria das empresas tem dificuldade de encontrar e organizar os dados para uso. Por isso, um dos principais papéis do cientistade dados é o de procurar maneiras de mostrar onde conseguir a informação e como transformá-la em algo palpável, capaz de representar uma verdadeira mudança no negócio. 

“Torturamos os dados até que eles confessem algo valioso”, diz. Segundo ele, quando as informações são entregues à pessoa certa, elas ganham poder.

Cappra irá participar de um dos painéis na Convenção

NIELSEN

As empresas estão percebendo como é importante investir para transformar dados em informações capazes de ajudar na tomada de decisões. Mas, em muitos casos, os dados já estão disponíveis; basta saber extrair deles o que realmente interessa. 

Informações próprias da empresa precisam, sim, ser buscadas, mas dados de mercado, por exemplo, podem ser encontrados por meio da imprensa ou de institutos públicos de pesquisa. 

A Nielsen, empresa global de mensuração e de análise de dados, que fornece uma visão completa de consumidores e mercados do mundo, vai mostrar na sua participação no painel exatamente a força desses números, trazendo uma pesquisa sobre o setor atacadista e distribuidor e sua importância para a indústria.

 

UNILEVER

Por sua vez, a Unilever, líder mundial em bens de consumo, apresentará um case bem-sucedido, que já é realidade no dia a dia da empresa em relação ao aproveitamento dos dados.  Seu objetivo é expandir, para os agentes de distribuição, as práticas que já são desenvolvidas.

“Estamos empenhados em melhorar para os agentes de distribuição a cadeia como um todo, aproveitando e maximizando as tendências que podem nos ajudar. E a tecnologia, certamente, é mola propulsora da nossa transformação”, afirma Juliana Carsoni, diretora de Vendas e E-commerce da Unilever.

 

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email