Perfil de Sucesso - Atacadista Distribuidor

Madura e moderna

A Mercantil Nova Era completa 40 anos e desponta para novos e grandes voos ao adotar um negócio que combina distribuição, lojas de atacado de autosserviço e uma rede de varejo de vizinhança

Por Rúbia Evangelinellis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dona de uma história de conquistas, cujo enredo é temperado pelo empreendedorismo, pelo espírito desbravador e pela amplitude de pensamento de seu fundador e atual presidente, Luiz Gastaldi Júnior, a Mercantil Nova Era chega voando aos seus 40 anos. Nascida em 11 de agosto de 1981, em Ji-Paraná, município da região central de Rondônia, em um espaço simples, como uma atividade de atacado generalista pelas mãos do então jovem paulista de Ribeirão Preto, que carregou na bagagem o sonho de ser o maior atacadista da região.

Gastaldi: “Inovamos com um atendimento de proximidade com o cliente, no relacionamento de cumplicidade com ele”

Mas o empresário foi além do seu objetivo e ultrapassou as fronteiras do Estado. Construiu uma empresa com três modelos de negócio: distribuição, lojas de autosserviço de atacado e lojas de vizinhança, cada um deles seguindo sua rota expansionista, em áreas previamente bem definidas, para que entre elas não ocorram conflitos.

“Comecei a trabalhar no atacado em 1968, em Ribeirão Preto. Em 1980, decidi que deveria abrir meu próprio negócio. Optei por Rondônia, um Estado nascente (status obtido em 1981, quando também nasceu a Nova Era), com grande potencial de crescimento e facilidade de investimento na área rural. Eu também acreditava que seria uma oportunidade para ser grande em um mercado ainda pequeno, investindo no atacado e em terras agrícolas e de criação de gado”, recorda Gastaldi, destacando que hoje mantém uma política de investimento contínuo apenas para os negócios relacionados ao abastecimento.

Ainda em relação ao início da trajetória da Nova Era, o empresário observa o quanto foi importante conhecer o setor e os fornecedores, fruto do trabalho desenvolvido em São Paulo.  Também funcionaram como combustível o capital disponível para começar a jornada na Região Norte e a lição aprendida na prática, que poderia até mesmo ser rebatizada pela escola atual de negócios, mas segue a velha cartilha: manter a atenção votada para as necessidades dos clientes e focada no desenvolvimento da boa parceria.

“Inovamos com um atendimento de proximidade com o cliente, no relacionamento de cumplicidade com ele, orientando-lhe e passando a ele informações para ampliar o seu negócio, desde considerações sobre  produtos e marcas oferecidos aos consumidores até sua  apresentação na  loja. Esse tipo de serviço não existia naquela época, e principalmente na Região Norte.” 

Atendimento valorizado 

Essa habilidade incomum para o negócio, com seu diferencial de atendimento, também se refletia nas visitas do empresário aos estabelecimentos, ação que, segundo informou, era frequente e valorizada pelos clientes. “Fiz isso durante muito tempo, mas com a evolução dos negócios não tive como continuar com ela. Mesmo assim, ainda hoje mantenho clientes que me conheceram nessas visitas. Eu abria as cidades, contratava os vendedores e, depois de conhecer os clientes, estabelecia até mesmo o limite de crédito”, observa.

Com os negócios prosperando e uma carteira de pedidos projetada para além do Estado de Rondônia, em 1985, a Nova Era mudou de endereço. Passou a atender em Porto Velho, capital rondonense, para facilitar o acesso aos mercados do sul do Amazonas e do Acre, mas manteve o portfólio de atacado generalista, oferecendo alimentos, produtos de limpeza, agropecuários e de construção, entre outros. “Quarenta anos atrás, o mix era limitado em variedades, e as categorias eram mais enxutas”, recorda.

De olho no futuro e nas áreas apontadas como vedetes de expansão econômica no Norte, a empresa instalou, em 1998, sua sede em Manaus/AM. Com a mudança, passou a cobrir todo o Amazonas e Roraima, juntamente com Rondônia e Acre. E iniciou um novo ciclo de negócios, incluindo as operações de DEC (Distribuidor Especializado em Cosméticos e produtos de higiene pessoal) e de distribuição exclusiva da Nestlé, Rayovac (hoje Energizer) e São Paulo Alpargatas.

A partir de uma nova dinâmica de negócios e tendo em mira o que apontavam as tendências, iniciou, em 2011, a operação de atacado de autosserviço em Manaus. Em 2018, lançou a primeira loja de vizinhança que opera nas modalidades  Barato e Pronto. Ambas as operações estão atualmente em fase de expansão.

Com o novo desenho de negócios, e para evitar o conflito de interesses com os clientes varejistas, a Nova Era optou por permanecer com a distribuição apenas em Rondônia, abrindo mão do Amazonas e de Roraima (que atuam como reservas de área de lojas de atacado de autosserviço). O Acre, por sua vez, por ser um Estado mais distante, também deixou de ser operado na distribuição. 

“A operação de atacado de autosserviço precisa ser competitiva em preços e, por isso, interfere nos interesses da distribuição. Por isso, decidimos manter as lojas de atacado de autosserviço em alguns locais, que hoje formam o nosso maior negócio.” A empresa tem dez unidades em Manaus/AM, duas em Boa Vista/RR e três em Porto Velho/RO. 

Em Manaus, há também nove lojas de vizinhança das modalidades  Barato e Pronto, rede que terá o reforço de três unidades até dezembro – uma em Boa Vista e duas em Manaus. O grupo tem ainda três outras lojas Pátio Gourmet (lojas de área superior a 2.500 metros quadrados e com sortimento premium, cafeteria, restaurante, adega climatizada e outros atrativos) na capital amazonense. 

Empresa opera três modelos de negócios na Região Norte: distribuição, autosserviço e lojas de vizinhança

Como distribuidor exclusivo e DEC, e ações restritas a Rondônia, oferece um portfólio com cerca de quatro mil itens. No caso do atacado de autosserviço, Luiz Gastaldi explica que essa forma de atacado representa 70% dos negócios, prevendo abrir mais duas lojas: “Queremos chegar aos 41 anos com maior número de unidades em Rondônia, Roraima e Amazonas.”

Pandemia com olhos vendados

Embora as vendas tenham apresentado aumento a partir da pandemia, particularmente em 2020, o empresário lamenta a falta de clareza, que existe no cenário atual, com relação a medidas restritivas no comércio, bem como a falta de um cronograma definido para a vacinação da população. “O mercado trabalha com uma incógnita no que se refere ao entendimento de como seus caminhos na economia voltarão ao normal.”

Enquanto não enxerga luz no fim do túnel, o presidente da Mercantil Nova Era segue adiante levando em consideração o que contabiliza. “Percebo que atualmente o mercado está encolhido em relação ao ano passado. E nos remete a uma situação mais difícil para vender, pois temos de fazer mais promoções, brigar mais pelo cliente. Previ que cresceríamos 15%, mas ainda não atingimos esse patamar.” 

Luiz Gastaldi conta com o apoio dos três filhos para tocar o negócio da família. “As tarefas já estão divididas. Tenho a Thais, que cuida das propriedades da empresa, o Marcelo, que é gestor da área comercial, e a Francine, que responde pelos recursos humanos e pela área administrativa.”

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email