Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

RANKING ABAD/NIELSEN 2020 - RESPONSABILIDADE SOCIAL

Investimento no futuro

Atacadistas distribuidores mantêm ações para a profissionalização de adolescentes e jovens, preparando-os para o mercado de trabalho

Adriana Bruno

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Responsabilidade social é um tema que não sai da pauta do setor atacadista distribuidor. Assim como já vinha acontecendo nos anos anteriores, as empresas respondentes do Ranking ABAD/ Nielsen 2020 (ano-base 2019) declaram investir em ações dedicadas a esse assunto tão importante.

Quando indagados se desenvolvem projetos sociais e ambientais, 68% dos Distribuidores respondentes disseram que sim; entre os que trabalham com Atacado com Entrega, foram 70%; entre os que desenvolvem o Atacado Balcão, 40%, e os do Atacado de Autosserviço, 90%.

Fonte: Ranking ABAD/NIELSEN 2020

Entre as atividades de maior destaque, ou que envolvem mais investimento, a profissionalização de adolescentes e jovens aparece em primeiro lugar, com 74%, seguida de direitos da criança e do adolescente, com 55%. Em terceiro lugar vem a educação, com 42%. Ainda são citadas as áreas de meio ambiente, com 35%, e de ações esportivas, com 13%.

Para Patrícia Cotti, diretora-executiva do Ibevar – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo, o tema da responsabilidade social sempre desempenhou um papel central entre as atividades do distribuidor e do atacadista, favorecido pelo próprio modelo de negócios, o qual se relaciona, em grande parte, aos pequenos estabelecimentos varejistas e/ou revendedores.

Fonte: Ranking ABAD/NIELSEN 2020

“A capacitação de profissionais tem sempre importância-chave para o estímulo da cadeia como um todo, e não só no setor de distribuição. Esse tipo de capacitação vem sendo adotado cada vez mais pelas empresas como uma alternativa de solução diante da necessidade de mão de obra qualificada e especializada, com a facilitação da entrada no mercado de trabalho. O setor de consumo, em geral, é um dos principais empregadores do País, e a busca desses profissionais cada vez mais cedo faz com que toda a economia se beneficie”, diz.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email