Últimas Edições

Últimas Edições

 
 

GAJS

Dinamismo e jovialidade

Na lista de jovens mais promissores com menos de 30 anos, da Forbes, Flávio Vinte, empresário de 27 anos quer intensificar ações de desenvolvimento profissional à frente do grupo

por Rúbia Evangelinellis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Aos 27 anos, o empresário Flávio Vinte, fundador da Viva Distribuidora, mais conhecida como Vivaçúcar e com faturamento anual próximo dos 50 milhões de reais, assume mais um desafio profissional em meio a uma rotina de compromissos internacionais: a presidência do Grupo ABAD Jovens e Sucessores (GAJS). Mineiro de Belo Horizonte, determinado, focado e empreendedor nato, entrou na lista dos jovens mais promissores do Brasil abaixo dos 30 anos de idade, da revista Forbes, em 2019. 

Até os 16 anos, ele queria mesmo era saber jogar bola. Fez parte do time da categoria de base do Cruzeiro e do América. Mas decidiu mudar de vida aos 18 anos ao ler livro Sonho Grande, que conta o império capitalista brasileiro construído por Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira e mudou sua perspectiva em relação ao futuro.

Deixou o futebol de lado, estudou firme e traçou um plano para ganhar experiência profissional, inspirado por esses seus ídolos. Tratou de valorizar o currículo para ganhar peso e conquistar uma vaga em uma das escolhas internacionais de primeira linha. Atualmente mora em Nova York (EUA), para onde se mudou em 2020 em razão do MBA na Faculdade de Columbia. O curso termina no início de maio. 

Aos 22 anos, Vinte fundou a Vivaçúcar, trading e distribuidora especializada em açúcar cristal que se prepara para começar a trabalhar também com etanol em breve. A experiência para iniciar a operação foi obtida quando atuava como comprador de commodities no atacado da família. Vinte é graduado em administração de empresas pela Faculdade Milton Campos, pós-graduado em Gestão de Finanças pela Fundação Dom Cabral e ainda gerente global de Frontline Sales no BEES – Ab InBev.

O retorno para o Brasil está programado para junho próximo, onde pretende ficar “pelo menos” até o fim de 2022. Na agenda,  a primeira reunião virtual da nova diretoria do GAJS. “Será quando iremos alinhar as ações do ano e definir a programação”, adianta.

Segundo informou, a distância não será um obstáculo para o desempenho das atividades antes de junho, uma vez que os novos diretores foram escolhidos pelos perfis e habilidades visando a formação de uma equipe integrada, diversificada e equilibrada.

“Temos pessoas melhores em relacionamento para estimular o engajamento dos associados aos eventos, outros diretores com modelo de desenvolvimento profissional. Um deles, inclusive,  é empreendedor que deixou a empresa da família e está com um negócio muito bem sucedido. Sem contar com a presença do meu irmão e sócio Vitor, meu braço direito, que me complementa. Sou ambicioso, sonho grande e ele é mais atento às questões do dia a dia”, destaca. 

Flávio Vinte atuou na última gestão do GAJS (presidida por Juscelino Franklin de Freitas Junior – de 2017 a 2020) como diretor de Projetos e Expansão. A proposta é manter as ações ativas do grupo, mostrar aos participantes a importância do desenvolvimento da carreira, de conteúdo, assumir desafios, ainda que pareçam distantes, e de alçarem voos mais altos e necessários.

Entre os seus planos, estão a criação de dois comitês principais: de política e economia e de desenvolvimento profissional voltado para jovens e sucessores. É ainda co-fundador do projeto “Crie O Impossível” – evento de impacto social do Brasil (o projeto foi apresentado como case de sucesso na “Brazil Conference at Harvard and MIT”), ex-presidente do Comitê de Gestão.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email