Menu
divisor-menu

Últimas Edições

Últimas Edições

 
 

Comemoração

DEC completa 25 anos

Composto por 15 distribuidores especializados em cosméticos e higiene pessoal, grupo tem trajetória de crescimento e aposta em faturamento entre 5,6 e 6 bilhões de reais

Rúbia Evangalinellis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A partir de uma operação dinâmica e bem-sucedida de abastecimento do mercado, o grupo formado por 15 Distribuidores Especializados em Cosméticos (DECs) completa 25 anos com uma cifra invejável de negócios. A meta é fechar 2020 com faturamento entre 5,6 e 5,7 bilhões de reais, manter a trajetória de crescimento e alcançar a marca de 6 bilhões de reais em 2021. 

Manuel Pereira da Silva, presidente do grupo, do qual participa desde a sua origem, explica que o conceito de distribuição especializada em produtos de higiene pessoal e beleza foi além de inovar o mercado. Conquistou uma base sólida de clientes, mediante ao compromisso de entrega rápida, venda fracionada e com uma equipe de 3.574 consultores treinados para orientar sobre composição e exposição do mix. Atualmente são mais de 140 mil pontos de vendas atendidos. 

Manuel: hoje o grupo encontra-se fechado com 15 participantes

O projeto, que nasceu miudinho, vingou, ganhou corpo e sustenta um negócio que permanece com a seta apontada para cima. Até 2019, a taxa anual de crescimento estava ao redor de 9,7%, mas em 2020 promete um salto maior, considerando que de janeiro a outubro já registrava alta de 12,88%. 

Consumo nacional e pandemia

O executivo é categórico ao informar que o consumidor brasileiro, com ou sem crise, não abre mão dos produtos de higiene e beleza, mantendo a vaidade em alta. Mas pode, sim, fazer ajustes na sua cesta de compras, como ocorreu a partir da pandemia, considerando, por exemplo, o aumento de vendas de sabonetes (como líquidos e bactericidas) e do álcool em gel: “Destaco a importância de como a indústria deu uma resposta rápida ao mercado, revendo o portfólio.”

Com a expertise de mercado, o presidente do DEC acredita que, mesmo com a economia patinando, o grupo tem potencialidade de crescimento, ampliando a base de clientes: “Mas é importante ressaltar que a auxílio emergencial colaborou para o aumento do consumo.”

O início

Em janeiro de 1995, a Roge Distribuidora, de São Paulo, surpreendeu o mercado quando anunciou que passaria a vender apenas produtos de higiene pessoal e cosméticos. “Na verdade, a decisão foi tomada em novembro de 1994. Na ocasião, fui contratado para colaborar com o desenvolvimento da nova operação de especialização e assumi o posto de diretor de vendas em janeiro do próximo ano. Até então, não existia o conceito DEC, com os planos e estratégias de especialização já definidos”. 

A iniciativa, acrescenta, foi bem-aceita pelos fornecedores, que passaram a divulgar no mercado que a nova operação apresentava bons resultados e chamou a atenção de outros distribuidores interessados em conhecer o conceito. “Foi quando recebemos duas empresas, uma do Ceará e de Santa Catarina, que optaram pela adoção do modelo e, no final de 1995, formamos o grupo DEC, com as três companhias. A partir disso, não paramos de crescer”, recorda.

Desenvolvimento e parceria

O grupo chegou a ter 22 empresas, mapeando e difundindo o sistema DEC no território nacional. Mas como ocorreram consolidações corporativas, num movimento de mercado que se configurou em aquisições e fusões, hoje o grupo encontra-se fechado com 15 participantes, sendo que cada um responde por uma área específica. Desde o início, segundo Manuel, o grupo apresenta, como forte apelo de negócios, pilares como venda fracionada, entrega rápida, bom atendimento e mix completo. 

E, com o desenvolvimento das atividades, agregou mais um valor aos clientes (perfumarias e varejo): a layoutização, que consiste na organização dos espaços das lojas destinados aos itens de perfumaria e higiene pessoal. “Ao oferecer o produto certo, exposto de forma correta e no volume adequado, abrimos mais espaço nos pontos de vendas e aumentamos, em média, 35% o portfólio comercializado. Cada DEC tem de ter sua equipe para montar as gôndolas, com o mix sugerido e custeado por ele. Em 25 anos, buscamos encantar os clientes e surpreender o fornecedor”, reforça.

DB DigitalReceba no seu email

DB DigitalReceba no seu email