Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

ENCONTRO DE VALOR 2019

Agenda lotada

Evento trouxe debate, palestra, homenagens a indústrias, a pesquisa Categorias em Destaque e a premiação do Fornecedor Nota 10, que completou uma década

por Ana Paula Alencar e Thaís Campanaro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Reproduzir vídeo

O Encontro de Valor ABAD 2019, realizado em 25 de novembro, na sede da Fecomercio-SP, abriu amplo espaço para o debate político, focalizando, em especial, as reformas que vêm sendo propostas pelo governo e os temas prioritários para o setor, como o PL do Distribuidor. A importância do tema apareceu já na abertura feita pelo presidente da entidade, Emerson Destro. Ao discursar para os 400 participantes, Destro destacou que, apesar do ano muito desafiador, “vemos um Brasil que finalmente começa a entrar nos eixos do ponto de vista econômico”.

O presidente ressaltou que o País tem feito boas escolhas, calcadas em princípios liberalizantes que promovem o empreendedorismo, a desburocratização, a eficiência econômica e a melhoria do ambiente de negócios. Destacou, ainda, a abertura oferecida pelo atual governo para ouvir as sugestões e demandas do empresariado brasileiro e elogiou o enfrentamento do excesso de regulação que trava o crescimento do País.

O presidente da entidade, Emerson Destro, abre o Encontro

“No atual governo, os setores produtivos puderam opinar e apresentar suas dificuldades e anseios que, de alguma maneira, vêm sendo atendidos por medidas como a lei da liberdade econômica”, declarou. Destro aproveitou para ressaltar que medidas como a reforma trabalhista e a nova previdência, bem como as discussões sobre as reformas administrativa e tributária, são “fundamentais para redesenhar o ambiente de negócios do País e torná-lo cada vez mais atraente para investimentos e mais competitivo”.

O presidente deu parabéns pela boa atuação da Frente Parlamentar do Comércio e Serviços, presidida pelo deputado Efraim Filho, bem como o Comitê Agenda Política da ABAD e as 27 filiadas estaduais da ABAD, com menção especial aos vice-presidentes da ABAD José Luís Turmina e Juliano Faria Souto.

Ele também informou em primeira mão uma nova conquista: o parecer favorável do Ministério do Trabalho pela exclusão do adicional de periculosidade que pode advir do tanque suplementar nos caminhões. Destro também pediu o apoio dos parlamentares no debate do adicional de periculosidade para os motociclistas e outros temas que afetam o setor, como o PL do Distribuidor, lei que deverá reger os contratos celebrados entre a indústria e as empresas de distribuição.

Por fim, o presidente solicitou que as indústrias abracem a bandeira da ética nos negócios, em especial no que se refere à concorrência leal e à política de preços justa por canal, ajudando, dessa maneira, a desenvolver o pequeno varejo brasileiro. Na sequência, foi apresentado por Claudio Czarnobai, diretor da consultoria Nielsen, o estudo Categorias em Destaque, que mostrou o desempenho das principais categorias de produtos que fazem parte do portfólio do setor. 

E, por fim, foi entregue a premiação Fornecedor Nota 10 às indústrias que se destacaram no ano passado pelos bons serviços e pela parceria com o atacado distribuidor nacional.

O jornalista William Waack participa do Encontro ministrando palestra

PALESTRA


O jornalista e especialista em Ciências Políticas William Waack afirmou aos 400 convidados presentes ao Encontro de Valor ABAD 2019, na Fecomercio – Federação do Comércio do Estado de São Paulo, que “em vista do grau do gasto público no Brasil, ainda não há como diminuir a carga tributária. Por isso, é muito importante reduzir a máquina pública com a Reforma Administrativa”. 

O jornalista abordou a conjuntura política-econômica brasileira, com foco especial nas reformas necessárias para impulsionar o desenvolvimento do País. Ele também destacou a atual postura do brasileiro em relação à política, dividido entre a descrença e a polarização. Mas vê como positivo o atual engajamento da maioria, o que resultou em uma substancial renovação do Legislativo por ocasião das eleições. 

Waack também mencionou as dificuldades enfrentadas pelo governo federal na condução das reformas, com destaque para a questão da insegurança jurídica. “A insegurança jurídica não é algo que o presidente Bolsonaro possa resolver sozinho. Também é necessário contar com o apoio do Congresso, que nesta legislatura está atuando com grande protagonismo”, afirmou aos empresários e parceiros do setor, em especial aos grandes fornecedores de produtos de consumo.

Juliano Faria Souto, deputado Osires Damaso, George Pinheiro, deputado Efraim Filho, Emerson Destro, deputado Jerônimo Goergen e José Luís Turmina

POLÍTICA E ECONOMIA

Durante o encontro, também foi realizado um painel político-econômico conduzido pelo presidente da ABAD, Emerson Destro, com a presença dos deputados federais Efraim Filho, presidente da FCS – Frente Parlamentar do Comércio, Serviços e Empreendedorismo, Jerônimo Goergen, relator da Lei da Liberdade Econômica, e Osíres Damaso, que também é empresário do setor e líder da ABAD para a Região Norte. Participaram, ainda, George Pinheiro, presidente da Unecs – União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços e da CACB – Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, e Juliano Faria Souto e José Luís Turmina, vice-presidentes da ABAD.

No painel, a questão das reformas essenciais para o País teve amplo destaque, bem como a intensa participação do Legislativo nos debates. “Em 2019, o Congresso tem sido protagonista da agenda do Brasil, compartilhando o poder com o Palácio do Planalto e sendo o fiel da balança da estabilidade do País”, frisou Efraim. “A agenda econômica continua a ser prioridade para o Legislativo, tanto em temas macro como em temas microeconômicos. Estamos preocupados com os resultados, principalmente do setor de comércio e serviços, que pode ser o grande motor do crescimento e da geração de empregos no País.”

“Em relação à Reforma Tributária, nunca, em meus quatro mandatos, vi o Congresso tão maduro para esse debate como agora. O Legislativo trabalha hoje com um consenso: a Reforma da Previdência veio estancar uma sangria. Quanto à esperada Reforma Tributária, não será possível antes de atacarmos o Custo Brasil naquilo que é de fato estrutural – a Reforma Administrativa, que deverá equacionar os gastos do setor público, que é pesado e ineficiente. Apenas dessa maneira o Brasil voltará a ter capacidade de investimento e será possível, em 2020, pensar em mexer em tributos”, concluiu.

O deputado Jerônimo Goergen falou a respeito dos desafios atuais do governo. “O Brasil tem dificuldades para criar consensos de Estado; criavam-se muitos nichos dentro do Estado, mas o atual governo veio com a disposição de mudar isso. Ele também está mudando a relação com o empresariado, com os setores produtivos.” Falou, em especial, sobre a aprovação da lei da Liberdade Econômica e a atuação do Legislativo, incluindo a necessidade de se reforçar o que já foi conquistado de positivo. 

“Temos o desafio de melhorar o ambiente de negócios do País e também a autoestima do povo, lembrando as conquistas já alcançadas. Nesse sentido, 2020 será mais um ano de trabalho intenso.” George Pinheiro também prevê que o próximo ano será de muito trabalho para o Legislativo, ressaltando o papel do empresariado na evolução das reformas.